BomServo

Trabalhai, porque eu sou convosco, diz o Senhor dos Exércitos !  (Ageu 2.4).

Meu Diário
15/04/2014 06h40
Vida equilibrada...

Corpo & Alma…

Hoje me sinto um tanto desequilibrado, pois sinto em meu corpo algumas dores e reações não naturais para com os meus movimentos rotineiros, tipo andar, flexionar e tentar ser mais ágil nos reflexos.

Talvez alguém possa dizer: “ Isso é da idade…”!

Talvez, mas creio de que independente da idade, e por mais que a velhice venha sobre nós, devemos reconhecer de que as dores ou dificuldades que nos abatem corporalmente, jamais poderão nos afetar nos sentimentos e ânimo otimista para com a vida presente e futura.

Pior que as dores ou dificuldades físicas que nos afetam a locomoção, são os sentimentos e espírito abatido que podem bloquear e paralisar o mais saudável corpo físico.

Muitas das dores e enfermidades físicas são reflexos de uma alma e espírito doentio.

É necessário, mais do que nunca, nos dias de hoje, buscar viver uma vida equilibrada onde tanto o físico como o espírito andam em passos sincronizados.

Uma vida equilibrada envolve coração, relacionamentos, ansiedade controlada e uma esperança firmada num futuro descansado e sem o peso da culpa condenadora de uma alma e espírito pesarosos pela forma em que viveu.

Se desejamos viver uma vida equilibrada, com um espírito jubilante caracterizado pela paz e pelo otimismo de um futuro descansado, sem medo da prestação de contas no final da vida, devemos avaliar o nosso procedimento para com outros, para com Deus e para com a nossa própria vida.

Viver uma vida equilibrada exige o controle das nossas ansiedades.

Viver uma vida equilibrada exige um controle regular de nosso físico, nossa mente e coração.

Viver uma vida equilibrada exige de nós o exercício físico, mental e em especial o exercício de nossa fé.

Uma vida equilibrada é uma vida onde a fé nos leva a viver uma relação com o Deus que nos fez corpo, alma e espírito.

Uma vida equilibrada é uma vida revestida de amabilidade e misericórdia que só é possível viver sob a graça e o amor divinos.

 "Alegrai-vos sempre em Deus; outra vez digo, alegrai-vos. Seja o vosso equilíbrio notório a todos os homens. Perto está o Senhor Deus. Não estejais inquietos por coisa alguma, antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas, diante de Deus, pela oração e súplicas, com ação de graças; E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos, em Cristo Jesus. Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai; O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco”. (Filipenses 4: 4-9)

Que Deus me conceda o equilíbrio no viver!

 

 


Publicado por Bomservo em 15/04/2014 às 06h40
 
12/04/2014 05h00
O tempo não apaga o que é eterno...

 

 

O que é eterno é dádiva divina, é concedido por Deus aos seres humanos criados por ele.

O tempo por mais longo e duro que seja na vida de alguém, jamais terá o poder de destruir ou ofuscar a dádiva divina implantada no coração do ser humano.

Dádivas como o amor, a graça, a bondade e os dons e talentos desenvolvidos em nós, pela divina inspiração de Deus, jamais serão desfeitos, ainda que e relutemos para nos libertar deles.

Deus nos fez para eternidade e nos resveste daquilo que é eterno, pois somos alma e espírito eternos.

Assim sendo, depois um tempo sem escrever nestas páginas, por mais que as poalavras não tenham sidas inscritas aqui, elas fluiram em meu ser, em meu coração de forma constante, pois o Espírito de Deus permanece em mim, sendo ele o agente inspirador de tudo em meu viver.

O tempo jamais apagará aquilo que Deus escreverá em meu coração, sendo assim, cabe a mim transcrever aqui os sentimentos e lições que Deus me transmite neste tempo chamado vida.

Deus é o senhor do tempo, Deus não envelhece e nem fica fora de moda, ele é eterno e eterna é a sua graça.

Agradeço a Deus por voltar a escrever neste dia.

Deus abençoe a todos os que lerem este diário.  (m.prado).

 

 


Publicado por Bomservo em 12/04/2014 às 05h00
 
29/11/2009 05h35
...




Eu, Deus e meus escritos…(2)

 
Sim, o verdadeiro amor, aquele que se apresenta sem ter a ambição de dominar, de controlar como se proprietário fossemos de alguém, é aquele que se molda ao nosso coração, se adapta às nossas carências naturais.
                
Todo ser carente, que vive insatisfeito, como quem tem um grande vazio em seu peito, vazio este que faz arder a alma, que faz brotar uma ferida que sangra diariamente, nos fazendo um ser doente, é um ser que precisa encontrar-se com o espírito do amor genuíno, o amor que nasce na fonte celeste, que é a revelação do divino Deus que é amor.


Sou grato por não somente ter encontrado esse espírito, mas servir como morada, habitação dele, ser seu templo, pois o espírito divino, o próprio Deus que é amor, quer fazer de nosso coração, nosso ser, seu templo, o lugar onde ele escolheu para fazer o amor florescer.


Tenho procurado fazer de meu coração um jardim, onde a cada primavera da vida, o pólem do amor se espalha, onde eu posso ver flores com aroma do amor, com a cor do céu, vidas que se apresentam diante de mim, que vêm fazer parte do meu jardim.


Quando essas flores nascem em meu coração, junto com elas brota forte uma inspiração, através da qual eu me vejo a escrever meus escritos, me vejo por essas flores inspirado, me sinto por Deus amado, e assim posso então transmitir um pouco mais uma fragrância, um chuviscar de pequenas gotas que me levam a amar.


Sob o chuviscar do amar, desejo então ouvir a musica divina do verdadeiro amor, aquele que nos faz amar sem exigir o direito de ser proprietário de quem a nossa inspiração veio se tornar.


Em meio ao chuviscar do amor, desejo ser um amante na mãos de Deus, ser um fruto do seu jardim.


“Qual a macieira entre as árvores do bosque, tal é o meu amado entre os filhos; com grande gozo sentei-me à sua sombra; e o seu fruto era doce ao meu paladar”. (Cânticos
2:3)


Publicado por Bomservo em 29/11/2009 às 05h35
 
29/11/2009 05h30
...






Eu, Deus e meus escritos… (1)

 
Quanto aos meus escritos, a inspiração sempre é de Deus, pois é um dom que dele tenho recebido, não é glória minha.

Sei que fui feito um ser sensível, que tem uma ênfase mais forte no romantismo e na sensibilidade por sonhar e amar.


Afinal fui criado pelo Deus que é amor e que entende muito de sensibilidade.

Quando tinha meus 7 anos fiz meu primeiro poema com sentimentos voltados para uma pequena menina que morava em frente a minha casa sem nunca ter falado com ela, pois quando mudei para essa rua, na casa defronte a dela, logo após, mês e meio, ela mudou-se, nem sequer fiquei sabendo o nome dela.

 
Eu sempre gostei de ler o livro do cântico dos cânticos, o qual sempre me envolveu pela ênfase romântica que Deus se apresenta, pela forma como é feita a ilustração do relacionamento entre Deus e a sua Igreja.

Certa vez, fiz uma série de estudos baseados no livro de Cântico dos cânticos.


Creio eu, que nem todos as pessoas estão preparadas para esse tipo de estudo.

Sempre fui de muito sonhar com a maravilha do amor, eu sempre fui diferente dos meus primos e irmão, eu não pensava em namorar, pensava em amar.


Sei que temos um potencial de amar maior do que amamos.


Interessante que estou falando isto agora, pois nunca falei com alguém sobre este assunto, ninguém sabe disto.


Creio que por sermos pessoas diferentes em nossa sensibilidade.


Meus escritos são frutos de momentos em que me deixo envolver pelo sentimento e pela sensibilidade do amor, me vejo escrevendo mesmo sem ter pensado em escrever.


Muitas vezes acordo à noite em meio a poemas e prosas que estão pairando em meu pensar.


Então levanto e anoto para não esquecer , depois escrevo com a conclusão perfeita que nunca imaginei.


Já chorei de emoção ao ler algo que escrevi..


To falando demais não é?.


" Com o coração vibrando de doces palavras, recito os meus versos em honra ao rei; seja a minha língua como a pena de um hábil escritor". Salmo 45:1



Continuo depois…



Publicado por Bomservo em 29/11/2009 às 05h30
 
03/07/2009 15h31
...
Eu… Deus… e os “Meus”!
 
Eu sei que nem sempre sou o mais correcto dos homens em minha forma de ser, de pensar e de sentir os meus sentimentos íntimos, que brotam do meu coração, fazendo-se reais em minha vida.
 
Sei que como pecador, e mais que isso, como alguém que sente a força real do meu “eu”, vivo uma batalha constante e incansável, onde através da força do “eu”, sou tentado a desestabilizar a estrutura existente em minha vida espiritual, estrutura essa que é divina e angelical, dada pelo Deus criador e sustentador da minha vida.
 
Como consequência dessa batalha diária, e que há de durar enquanto eu estiver a viver neste mundo, vivo minha vida tentando conhecer melhor quem de facto sou, pois me surpreendo muitas vezes com minha forma de viver e de ser.
 
Mediante a essa batalha, me identifico muito com a pergunta feita por Jó:
 
“Que é o homem, para que tanto o engrandeças, e ponhas nele o teu coração, e cada manhã o visites, e cada momento o proves?” Jó 7:17,18
 
Sim, quem sou “eu” para merecer da parte de “Deus” e dos “meus” amigos e familiares tamanha consideração, e principalmente receber da parte de Deus tanto amor, amor esse que faz com que Deus me visite a cada instante do meu viver?
 
Sim, quem sou eu, para que receba da parte de Deus um cuidado especial, cuidado esse que leva Deus a me sustentar a cada dia, a me restaurar das angustias e incertezas, renovando o meu espírito de forma a me fazer sonhar com uma nova vida?
 
Quando me sinto derrotado em meio a batalha travada pelo meu “eu”, eu posso então aprender mais de “Deus”, posso contemplar as provas reais que ele me dá de seu cuidado.
 
Posso afirmar com certeza, de que as batalhas pelas quais passo a cada momento, são demonstrações e provas de que não estou sozinho, não fui abandonado em meu viver, pois em meio as batalhas, seguimos juntos e abençoados... Eu… Deus… e os Meus !
 
 
 
 

Publicado por Bomservo em 03/07/2009 às 15h31



Página 1 de 3 1 2 3 próxima»

Site do Escritor criado por Recanto das Letras